Leilão de imóveis da Caixa: conheça essa oportunidade para realizar seu sonho

Para quem quer adquirir um imóvel por um preço mais vantajoso, o leilão de imóveis da Caixa pode ser uma excelente oportunidade.

Segundo dados divulgados pelo banco, até julho de 2018, um mês antes de um grande Leilão de Imóveis da Caixa 2018, os imóveis retomados pelo banco somaram uma arrecadação de R$ 591 milhões, com mais de 28 mil imóveis vendidos, e já representavam 62% de toda a oferta do ano anterior.

Se você quer entender melhor como funciona o leilão de imóveis da Caixa Econômica, leia esse post até o final.

Como funciona o leilão de imóveis da Caixa

O leilão de imóveis da Caixa costuma ocorrer quando um morador está inadimplente com as parcelas do financiamento imobiliário e não conseguiu chegar a um acordo de quitação da dívida. Neste caso, o móvel volta à propriedade do banco.

Porque os imóveis são de Patrimônio e Alienação Fiduciária (um modelo de garantia de propriedades, móveis ou imóveis, que se baseia na transferência de bens como pagamento de uma dívida, a partir de um acordo firmado entre o credor e o devedor).

Os imóveis de um Leilão da Caixa costumam oferecer condições vantajosas para os futuros compradores porque podem sair, em média, mais de 30% mais baratos, mas já existiram casos que os bens imóveis oferecidos no evento estiveram mais de 60% mais baratos do que os valores de mercado no momento da avaliação pelo banco.

Leilão de imóveis Caixa 2018: pregões

Prevista pela lei 9.514/97, esses imóveis da Caixa devolvidos podem ser realizada em até dois leilões: o primeiro ocorre 30 dias após a devolução do imóvel. Caso não haja lance, o segundo leilão é realizado 15 dias depois.

No primeiro leilão da Caixa, imóveis devem receber o lance mínimo, que precisa ter valor igual ou superior ao valor da avaliação. Já o segundo leilão tem lance mínimo definido pelo vendedor, desde que seja igual ou superior a 50% do valor de avaliação.

As unidades do leilão de Imóveis de Caixa podem ser visualizados por meio de um catálogo que existe no site da Caixa ou até mesmo diretamente nas agências. As ofertas podem ser realizadas de forma presencial ou até mesmo on-line.

Além disso, saiba que é possível também fazer financiamento de um imóvel de um leilão da Caixa Econômica, inclusive com a alternativa de usar o seu FGTS.

Mas caso não haja novamente nenhum lance, o imóvel passa a ser oferecido em licitação aberta, licitação fechada ou venda direta.

Essas licitações abertas da Caixa Leilão podem ser realizadas simultaneamente em diversas cidades do país. Os interessados precisam ficar atentos ao calendário que também consta no site.

Como participar do Leilão de Imóveis da Caixa?

Quem quer participar do Leilão Caixa, deve ficar atento à publicação dos editais. Caso, algum imóvel seja interessante, a dica é checar regras e informações.

No edital do leilão de imóveis Caixa, estão as principais informações sobre o imóvel a ser leiloado: a data do leilão, o valor mínimo de venda, o estado de conservação do imóvel, quem é o vendedor e de quem são as responsabilidades por cada um dos custos excedentes, como impostos e taxas de condomínio.

Preferencialmente, opte por um imóvel que esteja desocupado. Mas caso isso não seja possível, é bom saber que essa desocupação ficará a cargo do novo proprietário.

Para formalizar sua proposta nas vendas on-line em um leilão de imóveis da Caixa Econômica federal, é preciso fazer um depósito caução de 5% do valor do imóvel, em qualquer agência do banco ou no local informado no edital.

Já para se inscrever no leilão de imóveis da Caixa Econômica Federal, é preciso realizar um cadastro prévio no site do leiloeiro:

– Cópia de documento de identificação (RG, CNH, etc);

– Cópia do CPF (caso o número não conste no documento de identificação);

– Comprovante recente de residência (máximo de 90 dias);

– Se for pessoa jurídica, o representante legal deve apresentar também o contrato social;

Já para habilitação da conta, esse processo costuma ter particularidades definidas pela casa de leilões. Ideal é consultar a instituição responsável pelo leilão em questão, conforme definido no edital.

Cuidados ao comprar imóveis de leilão da Caixa

O primeiro cuidado a ser tomado ao pensar em participar de um leilão da Caixa Econômica Federal é que os imóveis podem demorar para ficar disponíveis.

Esse é um fator de risco que o comprador pode passar justamente pelo que alertamos logo acima: alguns imóveis leiloados pode estar ocupados pelos antigos proprietários.

O comprador pode também ter que arcar com esses custos adicionais com ação de despejo.

Então se você  precisar utilizar da justiça para conseguir ter a propriedade, saiba que isso vai te custar dinheiro. Além disso, é bem provável que você não consiga visitá-lo, caso ele esteja ocupado.

Outro ponto que é muito bom estar preparado ao adquirir imóveis de leilão da Caixa é sobre as dívidas deixadas pelo antigo morador. Procure um advogado e verifique se há débitos deixados pelo outro dono. Dependendo do caso, você precisará arcar com as dívidas dele.

As contas de condomínio e IPTU em atraso até a data da venda serão pagas pela Caixa. Assim, quem compra fica livre de qualquer dívida. Isso é claro, desde que não seja o próprio responsável pelos débitos existentes e que a aquisição não ocorra em 2º Leilão.

O advogado pode averiguar também se há ações judiciais contra o leilão de imóveis Caixa Econômica, porque às vezes o banco não esperou o julgamento acabar para colocar o imóvel em leilão.

Outro cuidado importante ao tentar adquirir imóveis de leilão:  pesquise o valor de mercado da propriedade.

Pesquisar o valor de mercado do imóvel leiloado, avaliando se o desconto oferecido no evento compensa o risco de ter que arcar com custos de Justiça e de reforma.

E depois disso, não se esqueça de ficar muito atento a todas as cláusulas do contrato de compra e venda  do imóvel.

Agente leiloeiro: https://www.zukerman.com.br/.

 

Um comentário em “Leilão de imóveis da Caixa: conheça essa oportunidade para realizar seu sonho

Deixe uma resposta